Olha o tempo...

sábado, 20 de fevereiro de 2010

A história da Cartografia

As sociedades sempre utilizaram registros para facilitar sua localização e o seu dia a dia.
Os indígenas norte-americanos desenhavam em peles de animais ou em cascas de árvores, identificando áreas de caça, pesca e pastagem.
Os nômades do Saara, como os Tuaregues gravavam nas rochas as rotas dos seus deslocamentos.

OBS
IPC: A Cartografia sempre foi uma forma de expressão da cultura e das crenças dos povos que dela se utilizam. Afinal, todo mapa revela uma determinada visão de mundo.

O mapa mais antigo do mundo foi produzido na Babilônia, eles não sabiam da existência do Oriente Próximo. A argila corroída pelo tempo testemunhava a concepção filosófica acerca do lugar do homem no mundo.

O mapa mais antigo que se tem notícia é o de Ga-Sur, feito na Babilônia. Era um tablete de argila cozida de 7x8 cm, datado de aproximadamente 2400 a 2200 a.C. Representa um vale, presumidamente o rio Eufrates.


















No Egito Antigo as técnicas cartográficas tinham finalidades práticas: registrar nos papiros os limites das terras inundadas periodicamente pelo rio Nilo.
Os gregos formam os maiores cartógrafos da Antiguidade. Entre os séculos VII e III a.C, os gregos buscaram compreender os fenômenos naturais elaborando uma cosmografia (descrição do mundo), influenciada pela filosofia.
Grande parte dos conhecimentos cartográficos da Antiguidade está sintetizado na obra Geografia (oito livros), atribuída a Ptolomeu (90-168 d.C). No oitavo livro havia um mapa onde o mundo era representado e o Oceano Índico era representado como um mar interior, limitado ao sul por um continente chamado "Terra Australis Incógnita", além do que ele mostrava todas as áreas ecúmenas (termo de origem grega que designa a área do planeta Terra que é ou apresenta condições para ser habitado).


No Império Romano, as cartas foram fundamentais para organizar os deslocamentos dos exércitos, calcular as distâncias e facilitar as viagens entre as regiões e manter o controle sobre elas.


Na Idade Média, as concepções religiosas fundamentaram grande parte da cartografia produzida na Europa cristã. Os planisférios elaborados são uma visão simbólica que mistura conhecimentos geográficos, crenças religiosas e monstros míticos. Os mais famosos, conhecidos como cartas T-O. O mundo habitado (Terra habitabilis), a divisão entre os três continentes conhecidos, Europa, Ásia e África, o "T" representa a cruz é o símbolo da Santíssima Trindade, o "O" evoca a harmonia de um mundo fechado.

Com as Grandes Navegações, no final do século XV, que a civilização européia libertou-se dos limites do Mediterrâneo e das concepções herdadas da Antiguidade. Nesse momento a visão Antropocêntrica ganha reais contornos, e o homem na busca incessante por riquezas passa a ter maior interesse na Cartografia, pois o interesse comercial passou a ser maior que a fé cristã. O mapa de Frei Mauro exemplifica muito bem essa nova visão de mundo, pois em 1459 o mapa criado por ele, coloca o "sul" no topo, devido aos grandes interesses comerciais nas rotas das especiarias, ao longo do oceano Índico.
Dando um enorme salto na história, podemos exemplificar a Cartografia no mundo Bipolar, pois conhecer o território inimigo e "ganhar" novas áreas de influência passa a ser vital. O mapa abaixo ilustra muito bem essa nova visão da Guerra Fria. A representação de Logashkino, no deserto siberiano, passa a ser uma grande ingógnita, pois camuflar essa cidade era fundamental para os soviéticos, pois lá era uma grande base militar.

Hoje em dia os Satélites dão outra dimensão do espaço global. Google Map, Google Earth, GPS... A evolução tecnológica tão fantástica nos faz vislumbrar imagens nunca vistas antes. O conhecimento de áreas remotas pode ser feito virtualmente. Hoje, é o domínio da tecnologia que legitima de certa maneira a consolidação das supremacias mundiais, e nisso os paíse ricos são imbatíveis.

4 comentários:

Ciro Monteiro/102 disse...

Beth, essa postagem faz referência a aula de que dia? Obrigado.

Beth disse...

Essa postagem diz respeito as aulas iniciais, antes de entrarmos em coordenadas geográficas.

Ana Luiza B. disse...

Beth, a aula em pps sobre agentes externos expirou, não tem mais.. Tem como você postar novamente ?
Obrigada :)

Anônimo disse...

Olá, boa tarde!
Chamo-me Juliana, sou iconógrafa de uma Editora em Fortaleza. Gostaria de saber se você pode me informar algo sobre os direitos autorais das imagens do mapa Ga-sur e sua interpretação. Qualquer informação será de grande ajuda. Desde já, agradeço e aguardo retorno.
Juliana Santos...

Email: iconografia@aridesa.com.br